Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Kiba

Membro | Kiri
Membro | Kiri
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Localização : Puorto
Número de Mensagens : 3441

Registo Ninja
Nome: Seizon
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 900
Total de Habilitações: 52,5

MensagemAssunto: Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.   Qui 16 Set 2010 - 19:33

Descrição: Uma misteriosa organização raptou um High Genin de Suna, Eru. A missão consiste em salvá-lo, onde quer que ele esteja.


Recompensa: 600 ryo + 1 scroll novo jutsu + 1 ponto de cumprimento.
Ninjas Inscritos: Selim Puraido P. Secundárias: Takashi, Jounin e Daitsu, Genin
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annatar

Membro | Nukenin
Membro | Nukenin
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Localização : Porto
Número de Mensagens : 1602

Registo Ninja
Nome: Selim Puraido
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1505
Total de Habilitações: 262

MensagemAssunto: Re: Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.   Qui 16 Set 2010 - 19:43

Selim acordou no armazém sujo. Tinham acabado de forjar os seus planos na noite anterior. Ao raiar da alvorada dirigir-se-iam a Amegakure. A ordem do Kazekage tinha sido dada e não podiam perder mais tempo. Não sabiam o que poderiam estar a fazer a Eru enquanto eles esperavam.
“ Esta é uma missão de rank B, conto convosco para o trazerem de volta”
Sabia que iriam para uma morte quase certa. Não tinha a certeza que o rapaz de negro que fosse gentil ao ponto de os poupar uma segunda vez, caso o encontrassem. Ou se teria sequer poder, dentro da organização, para os poupar, caso fossem apanhados a espiar. Não tinham sequer um rumo certo, mas começariam por Amegakure. Não sabia nada da vila senão que era onde tinha nascido Pain.

Levantou-se e acordou Takashi e Daitsu. Aprontaram-se e partiram pelo enorme portão, pelo deserto fora. Muitas horas depois, ou assim lhes pareceu, chegaram à fronteira de Amegakure. Estavam alguns guardas no posto fronteiriço, e tinham a certeza de que não simpatizavam com as missões de Suna.
- Aparentemente todos são shinobis. Chuunin talvez. – murmurou Takashi para os alunos.
- Nós damos conta deles. – desafiou Daitsu.
- Vamos jogar pelo seguro. – sugeriu Selim – eles não podem saber que estamos aqui ou podem comprometer a missão. Por isso ou não nos deixamos ver ou matamo-los.
Daitsu olhou-o reprovadoramente.
- Não olhes assim para mim, a ideia também não me agrada e sabes que odeio matar desnecessariamente acima de tudo. Mas era a forma mais rápida de salvarmos o teu irmão.
Takashi já fazia selos ao seu lado.
- Nehan Shōja.
Penas brancas surgiram no ar, e o sono apoderou-se lentamente de Selim e Daitsu. Mas não era assim tão fácil. Uma dor acutilante espalhou-se do olho esquerdo do Genin, e mentalmente quebrou a ilusão a tempo. Segurou Daitsu para que não fizesse ruído ao cair e gostou bastante de ter um pretexto para lhe acertar uma lambada.
- Para que raio foi isso? – protestou o rapaz em voz baixa.
- Vamos enfrentar inimigos poderosos. Não posso gastar chakra em kais porque tu não te defendes de uma ilusãosinha.
- Vamos – ordenou Takashi em voz firme.
Passaram como sombras pelos ninjas adormecidos. Uma mulher vestida de negro observava-os à distância. O céu tornou-se alaranjado à sua volta e não prestou atenção às partículas negras que se concentravam ao seu lado, até assumirem a forma de um corpo vestido de negro, como ela própria.
- Envie, se lhes tocas mato-te. – declarou ele calmamente.
- E matarias o teu mais fiel subordinado? – perguntou o agora homem à sua frente.
- Se o meu subordinado tocasse no que me é precioso, podes crer que o matava. – fez uma curta pausa para observar o rapaz e a sua equipa afastarem-se – Sabes, na tua forma original eras muito mais bonito.
- Talvez te deva recordar de que eu não me lembro da minha forma original porque tu ma apagaste da memória – informou o homem sorrindo.
- Apenas porque tu me obrigaste – replicou o outro.
E com isto apontou um dedo a Envie que se desfez em partículas negras que se dirigiram a Este a alta velocidade. De seguida, ele próprio desfez-se em partículas negras que viajaram pelo ar, rapidamente.

Selim e a sua equipa depararam-se com um grande lago na periferia da vila propriamente dita. Concentraram chakra e atravessaram facilmente a zona. Quando atravessavam a zona, pequenos remoinhos surgiram na água. Não estranharam, pois talvez houvesse um rio ligado ao lago que gerasse correntes. Subitamente um enorme dragão de água surgiu entre eles separando-os. Um remoinho rodopiante surgiu sob Selim, abrindo-lhe um fosso aos pés. Foi puxado para o fundo do lago e enquanto o vórtex fechava sobre a sua cabeça e a água ribombava, perdeu os sentidos.

Uma figura de negro observava de longe, no topo da torre de Amegakure, onde se dizia que tinha residido um Deus. Ele tinha sido criado para destruir esse mesmo Deus. Nunca pensara sequer ousar sentar-se onde se dizia que também ele se sentara.

Selim acordou flutuando naquilo que lhe pareceu uma lagoa, dentro de uma caverna. A primeira coisa que sentiu foi a secura na garganta. Os seus membros estavam entorpecidos e a sua pele enrugada. Aquela água devia ser altamente concentrada em sal.
- Porra, odeio osmose – praguejou em voz baixa enquanto saía da lagoa rapidamente.
Concentrou chakra, fez alguns selos e disparou uma pequena torrente de água para a concavidade de uma rocha. Bebeu avidamente, repetindo o processo três vezes. Sabia que estava perto da desidratação e se tivesse acordado mais tarde poderia não se conseguir mexer, sequer.

Obviamente que a tentativa de passarem despercebidos falhara miseravelmente, alguém os vira. Mas não era altura de pensar nisso. Procurou uma saída para a caverna e viu uma pequena abertura na parede rochosa. Quando se preparava para escalar ouviu um guincho agudo, e uma criatura arredondada apoiando-se em quatro patas correu para ele. Parecia um diminuto rinoceronte, mas tinha uma pequena carapaça de metal cobrindo todo o corpo. Selim foi arremessado contra uma parede próxima, amortecendo a queda ao concentrar chakra nas costas, afixando-se à parede, em vez de embater nela. Apoiou as mãos e os pés e fez um pequeno mortal para trás, de forma a ficar de pé. Poderia seguir sem magoar a criatura, mas caso tivesse de escapar de algo pior, ela poderia ser um estorvo mais tarde. Não estava em posição de arriscar.

Saltou rodando no ar, até à água de onde tinha saído inicialmente. Criou dois clones da mesma e avançou para a criatura. Esta correu desvairada para ele uma vez mais. Lançou cobras das suas mangas para os olhos da criatura, o único ponto não coberto pelo metal, que cegaram. Isto enfureceu ainda mais a besta, que aparentemente tinha tão bom olfacto como visão. Correu para Selim uma vez mais, rosnando. Duas foices atingiram-lhe os olhos, prendendo-se na couraça de metal, mas a criatura não conseguia parar, e a sua velocidade arrancou-lhe a estranha couraça de metal, que ficou presa nas foices. As cópias saltaram sobre ela e desfizeram-se em água. Selim saltou sobre os clones e lançou uma kunai, concentrando chakra e fazendo selos. E enquanto os Mizu Bunshin se desfaziam, a kunai multiplicou-se utilizando a água dos mesmos, fulminando a criatura, que caiu sangrando de vários pontos, enquanto as facas se desfaziam em água, depois de cumprido o seu propósito.

Concentrou chakra uma vez mais e passou a sua vontade de assassinar para duas das suas kunais invertidas. Nunca se sabia quando poderia precisar delas. Concentrou mais chakra e galgou pela parede acima até à pequena abertura. Passou encolhido, arrastando-se apenas com os braços, pois era impossível mover as pernas num espaço tão apertado. Entrou numa nova sala. Várias criaturas como a que tinha visto na sala anterior povoavam o chão. Ele encontrava-se momentaneamente seguro numa plataforma elevada. Observou as paredes cavernosas. Havia um portão elaborado construído do outro lado da sala. Mas era impossível ir até lá sem ser atingido. Escalar a parede era também impossível, esta era composta quase somente por estalactites.
Estalactites
Retirou do seu saco duas kunais com kibaku fuuda e lançou-as a duas estalactites diferentes. Estas caíram e perfuraram o chão, em baixo. Repetiu o processo mais duas vezes até obter pontos suficientes onde pudesse saltar. Como tal, saltou de cone em cone até ao outro lado, sem ser atingido. Empurrou o portão empregando toda a sua força. Este rodou nos gonzos, mostrando um grande hall abobadado, circular, com apenas duas portas, uma de cada lado da sala. No centro erguia-se uma cúpula, rodeada por um fosso, e a sala tinha uma inclinação ligeira para o fosso. Aproximou-se do fosso e olhou para baixo. Viu duas placas no chão. Sabia do que se tratava. Eram placas de pressão, e havia uma pressão específica para a qual se activariam, abrindo a única porta na cúpula, esperançosamente. Poderia encher o fosso com água, mas não sabia qual a quantidade exacta. Dirigiu-se por isso à porta da esquerda, primeiro.

Encontrou-se numa espécie de torre, com uma rampa em espiral. Galgou por ela acima até atingir o topo. Viu um tanque cheio de água à sua frente, preso por uma substância metálica. Trepou-o e viu o seu reflexo na água límpida. Olhou para baixo. Estava exactamente no centro da torre, e se caísse não haveria nada para lhe amparar a queda. Enquanto tentava desviar estes pensamentos da sua mente, um tentáculo feito de água ergueu-se e empurrou-o. Caiu desamparado enquanto toda a vida passava à sua frente. A sua vingança, a sua estranha relação com Takashi a quem conhecia há tão pouco tempo. A identidade do rapaz da Sin. Não podia acabar ali, ainda não. Enquanto caía passava pela rampa que subira. Lançou cobras das suas mangas prendendo-se em duas bordas da rampa. Ficou suspenso no ar, como uma aranha numa teia. Se largasse uma das bordas cairia para o vazio e morreria. Um homem desceu a rampa lentamente. Trazia uma espada longa desembainhada e sorria graciosamente.
- Não é perigoso um membro da organização mostrar a cara?
- Não, quando a testemunha está prestes a morrer – respondeu o shinobi sorrindo.
- Wakatta.
Selim sabia que só ia ter uma oportunidade. Nunca tinha feito aquilo antes, sempre achara nojento e grosseiro. Mas te tinha de ser…

O shinobi aproximou-se das cobras da borda superior da rampa em caracol e ergueu a espada.
- Trabalhas para os Sin? – perguntou o Genin desesperado tentando ganhar tempo.
- Trabalho para quem pagar mais – disse o outro divertido com a angústia do rapaz – e quem pagou mais foi quem te quer ver morto.
A espada desceu cortando as cobras. As da outra borda cederam devido ao desequilíbrio súbito e Selim desapareceu na escuridão do fosso. O mercenário virou costas e afastou-se. A serpente chicoteou na noite enrolando-se à volta do pescoço do homem. Largou imediatamente a espada e agarrou a cobra que o estrangulava com ambas as mãos, enquanto se contorcia no chão. Um peso enorme estava apoiado nele e puxava-o para o abismo. Selim subia velozmente a parede, afixando-se a ela com o seu chakra, içando-se pela cobra que saía agora da sua boca. Continuava a achar completamente nojento e sentia uma forte vontade de vomitar. O shinobi em que a cobra se enrolara desfez-se em água de repente, deixando o animal voltar para a boca de Selim. Mas já não era importante, tinha trepado para a rampa uma vez mais. Destruíra o mizu bunshin, restava-lhe ir atrás do original. Uma mão surgiu da água no chão, prendendo-o pelo tornozelo, enquanto o ninja se erguia de novo da água.
- Pensavas que escapavas? - perguntou ele divertido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annatar

Membro | Nukenin
Membro | Nukenin
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Localização : Porto
Número de Mensagens : 1602

Registo Ninja
Nome: Selim Puraido
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1505
Total de Habilitações: 262

MensagemAssunto: Re: Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.   Qui 16 Set 2010 - 20:01

Como resposta, Selim aplicou-lhe um valente pontapé na cara, que se desfez uma vez mais em água, apenas para se reunir segundos mais tarde. O High Genin, agora livre, escapou como pôde, subindo a rampa até ao tanque de água. O seu inimigo seguiu-o de perto, correndo também, em direcção ao tanque com água. Saltou sobre Selim mergulhando no tanque cheio de água. O Genin sorriu levemente. A criatura disforme ergueu-se da água, fazendo surgir a parte superior do corpo do shinobi. Não era um mizu bunshin, já tinha ouvido lendas daquele jutsu. Suika no Jutsu.
- Se fosse a ti desistia já. – riu a criatura disforme – com tanta água é impossível venceres.
- Se bem percebi tu controlas toda a água no estado líquido não é?
- Assim é.
- Então estás condenado. – disse ele sorrindo.
O enorme peixe, ou o que quer que fosse, ergueu-se do tanque dirigindo-se ao rapaz. Este saltou velozmente fora do caminho, afixando-se a uma parede. O fez erguer um grande dragão de água do seu próprio corpo dilatado, que disparou para Selim. O rapaz fez selos rapidamente enquanto concentrava chakra. Foi engolido pelo enorme dragão e rodopiou na água, tentando atingir a “superfície”. O dragão desfez-se miraculosamente, caindo com um estrondo dentro do tanque, assim como o enorme corpo de água. O corpo nu do homem caiu na rampa desamparado com um som seco. Selim agarrou-se ao tanque com cobras que saíram das suas mangas e três cópias suas ergueram-se da água. Rodearam o homem caído. Uma cobra branca e enorme saiu da manga do rapaz, enrolando-se à volta do homem e erguendo-o no ar, forçando-o a fitar o rapaz nos olhos.
- Onde está o rapaz? – perguntou o Genin, com aquela marca vermelha a brilhar no olho esquerdo.
- Não sei do que falas, mas não me podes matar. – sorriu – tu não me consegues chantagear rapaz.
Selim fez selos lentamente. O homem viu como uma figura branca surgia ao seu lado, apenas para desaparecer segundos depois, dentro de um portão negro, rodeado de olhos. Fitou o rapaz que ainda fazia selos. No final, pôs uma mão sobre o pulso, pressionando-o. Uma pequena faísca surgiu na sua mão.
“Impossível”, pensou o mercenário, “Eles disseram que ele só dominava um elemento”.
Outras tantas faíscas surgiram da mão do Genin, até que ele sussurrou.
- Raikiri.
A espada de raios iluminou a sua mão como um fogo ardendo na floresta. O ar à volta tornou-se tenso para o homem, que via a lâmina de raios aproximar-se lentamente do seu peito.
- Vais falar?
- Puraido – balbuciou ele num acesso de loucura – Ele obrigou-me! Aqueles olhos malditos! Ele ordenou-me que te retivesse aqui, não tive escolha.
A lâmina de raios desapareceu da mão do rapaz. O Genjutsu terminara.
- Por que nos raptou ele? – perguntou o rapaz.
- Ele… procura putos com potencial para a organização! Deixa-me ir – suplicou.
- O quê? – riu o High Genin – para lhe dizeres o que me disseste?
- Eu não lhe direi nada!
- Pois não – confirmou o rapaz – Não dirás.
E com isto a cobra comprimiu o corpo do homem que se desfez em água. Os três Mizu Bunshin, juntamente com o original fizeram alguns selos.
- Kirigakure no Jutsu! – exclamaram em uníssono.
A água que tinha sido parte do corpo do homem, que ainda não se reconstruíra, foi usada pelos clones para criar um nevoeiro denso. Morte por evaporação. O seu corpo fora tornado definitivamente no elemento que tanto amava. Apenas era gasoso agora. A ironia parecia demasiada ao Genin.

Saltou sobre o tanque e pendurou-se numa espécie de pêndulo seguro por uma corda. A corda desceu, e a torre rugiu, enquanto mecanismos de engrenagem se faziam ouvir. O próprio chão parecia estar a subir, e assim era. O chão surgiu onde antes não havia mais do que vazio e a porta que dava para a cúpula abriu-se. O tanque ruiu, deixando a água fluir pela rampa e passar pela porta em direcção à cúpula. As placas de pressão activaram-se e uma porta foi aberta.

Entrou sorrateiro, avançando pelas sombras. Duas kunais saltaram do tecto dirigindo-se a ele a alta velocidade. Desviou-as velozmente com um salto, enquanto agarrava em duas suas.
E caiu.
Caiu durante longos segundos, não interessava o que havia no fundo, o seu corpo não resistiria à queda, era o fim. As facas atiradas do tecto apenas serviram para o distrair do perigo no chão. Que estupidez a sua. Viu o fundo do túnel, e quando estava prestes a cair na água, sentiu o seu corpo tornar-se mais leve e cair lentamente. Era como se a gravidade tivesse diminuído. Só havia um homem que conhecia com aquele poder.

Assentou os pés na água lentamente, enquanto erguia a fronte. À sua frente estava um homem loiro, vestido de negro de cara destapada. Agarrou num pergaminho rapidamente enquanto o fitava.
- Tens os olhos iguais aos dele. – comentou o loiro despreocupadamente – mas o cabelo é diferente, sim. – ao ver a indiferença na cara de Selim continuou – são olhos fortes rapaz, e não me refiro ao Geass. Os vossos olhos são fortes.
Viu Eruu acorrentado atrás do homem loiro. Ele estava entre Selim e a sua missão. E pelas suas roupas pertencia à Sin. Tinha de salvar Daitsu.
Rodou o pergaminho, agarrando na tripla foice que surgiu.
- Sai da frente – ordenou sem paciência.
- Sim, ele avisou que tu poderias tentar isso. – replicou Envie enquanto rodava uma Zanbatou nas mãos com todo o à-vontade. – Também me disse para te matar se fizesses isso.
- Então vai, mata, Envie. – disse ele com toda a confiança, aparentemente.
- Esse maldito olho – riu ele – vocês pensam que sabem tudo. Mas tens tanto de aprender antes de lhe chegares aos calcanhares sequer – continuou ele em tom de lamento.
Era suficiente. Selim atirou-lhe a foice que ele prendeu na espada, puxando. Sem problema algum o High Genin largou a foice e saltou sobre ele de kunais invertidas em punho. Desferiu um golpe vertical sobre o ninja, que o bloqueou com a espada. Tentou atacá-lo com a outra kunai com uma força espantosa para alguém tão… magro? Quando ergueu a fronte era um homem muito mais alto do que Envie à sua frente, agarrando-lhe o braço. Fez correr a kunai pelo punho da katana escarlate, fazendo um corte nas mãos de Envie. A sua intenção assassina foi projectada para o homem e o seu braço largou-o. Correu por detrás dele, pegando na foice de novo e espetando-a nas costas de Envie. O sangue encarnado manchou a água por baixo deles, enquanto o corpo flácido e inerte do homem caía. Dirigiu-se a Eruu que jazia imóvel entre as correntes. Desatou-o e ajudou-o a equilibrar-se na água.
- Selim! – exclamou ele – Olha!
Selim fitou o corpo de Envie e ficou chocado com o que viu. A longa fissura em várias vértebras reparou-se a olhos vistos, enquanto o tecido dos músculos voltava a cobri-la rapidamente. Em seguida, a pele renasceu, expandindo-se, revelando todas as feridas curadas e Envie com uma nova cara. Agora tinha cabelos negros e olhos azuis.
A frustração de Selim resultou numa explosão de chakra. Podia jurar que escorria por cada poro. Fez alguns selos e utilizou o seu chakra. Não precisava de o concentrar, desprezava tanto o homem à sua frente que ele fluía com toda a facilidade. Fitou o adversário ferozmente. Cinco clones surgiram ao seu lado, todos eles fazendo selos e concentrando mais chakra.
- Kirigakure no Jutsu!
O nevoeiro invadiu a arena de água, tornando Eruu e Selim invisíveis. O rapaz de cabelos aloirados lançou uma kunai para onde sabia estar Envie. Seguidos alguns selos, a faca multiplicou-se, vinda de todos os lados, lançadas por todos os clones. No meio da tempestade de armas o seu inimigo fez alguns selos. Uma onda de vento surgiu a partir dele, repelindo todas as armas, que se desfizeram em água. Mas quando tudo parecia perdido, Daitsu surgiu no ar brandindo duas facas que Selim lhe facultara.
Um flash de luz branca, um raio fulminante atingindo a água. E Envie caía pela água dentro.
Eru ainda se aproximou, como que para o ajudar. Foi enrolado por uma cobra branca que não o deixava mover-se. Tinha origem na manga de Selim.
- Esse canalha merece pagar pelo que fez, pelo que te fez. – rugiu ele. – Não o mato, mas não o salvarei do afogamento. Duas sombras caíram de ambos os lados, Takashi e Daitsu.
- Vamos – ordenou o sensei.
E com um shunshin simultâneo todos correram para a borda do lago, onde Takashi escavou sem dificuldade uma passagem para o exterior.
Fugiram de Amegakure como se perseguidos por algum demónio.
A mulher de cabelos platinados sorria debaixo de água. Era tudo como Puraido planeara.
Takashi movia-se com incessante velocidade, forçando os seus alunos até ao limite. Até ao país do Rio. Aí Selim ficou, enquanto os seus companheiros voltavam para Suna.
Estava na altura. Aquilo apenas o fizera aperceber-se do quão fraco ainda estava.
“ Junta-te aos bons e serás como eles”
Estava na altura, de uma visita a Kiba!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kiba

Membro | Kiri
Membro | Kiri
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Localização : Puorto
Número de Mensagens : 3441

Registo Ninja
Nome: Seizon
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 900
Total de Habilitações: 52,5

MensagemAssunto: Re: Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.   Sex 17 Set 2010 - 20:46

Reservado

Selim (Annatar)

H.N.

Força: 2.25 + 0,5 = 2,75
Agilidade: 10,75 + 0,75 = 11,5
Controlo de Chakra: 18,25 + 1,5 = 19,75
Raciocínio: 10 + 0,25 = 10,25
Constituição: 9,5 + 0,5 = 10

H.C.

Ninjutsu: 14 + 1,5 = 15,5
Taijutsu: 3
Kenjutsu: 12,5 + 1 = 13,5
Genjutsu: 18,25 + 0,5 = 18,75
Selos: 8,75 + 0,75 = 9,5
Trabalho de Equipa: 4,25

Total: 7/7

Recompensa completa
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado





MensagemAssunto: Re: Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Missão Particular Rank B: Salvamento de Eru.
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Sunagakure :: Missões :: Missões Arquivadas-
'); }