Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 [Fumetsu] Busca Pelo Poder Supremo [3/3]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Ozzymandias

Membro | Nukenin
Membro | Nukenin
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 61
Localização : Unknown
Número de Mensagens : 4010

Registo Ninja
Nome: Hiroshi Daisuke
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 15190
Total de Habilitações: 1029

MensagemAssunto: [Fumetsu] Busca Pelo Poder Supremo [3/3]   Seg 20 Fev 2017 - 2:47

O Uchiha permanecia sem enxergar quando sua consciência retornou. Nesse momento seu treino ninja falou mais alto e seus ouvidos começaram a buscar por qualquer ruído conhecido nas redondezas. Deitado numa cama, cujo colchão era tão fino que deixava passar um pouco do frio da estrutura de metal que a mantinha de pé, os ouvidos de Noburo notaram uma movimentação no leito ao lado. - Você ainda está sob o efeito da sedação. Relaxe. - Sussurrou uma mulher sua voz suave, aveludada. Nesse momento o leito vigiado rangeu como se alguém acabasse de se debater quando finalmente ouviu passos indo para duas direções opostas. Uma na direção da saída e outra na direção da parede oposta, onde ouvira um fraco gotejar de uma torneira. O que está acontecendo? - Ele se perguntava. Contudo, sua cabeça latejava e a órbita de seu olho direito ardia cada vez mais. Uma coceira incontrolável então começou a testar sua força de vontade, tentando fazê-lo revelar que já estava acordado quando ouviu que seu desafeto acabara festejar uma cirurgia bem-sucedida. Agora, seu desejo de se libertar para trucidar o filha da puta era ainda maior.  

- Vamos lá! Vamos testar. - Daisuke falava para si mesmo, aproximando seu rosto no espelho.

- Vai lá... Seu desgraçado! Deixa-me sair daqui para esquartejar você! - Gritou Noburo ao se revelar, sem conseguir aguentar a frustração e seu desejo assassino. Finalmente o desafeto tinha acordado e enfim o primeiro estágio da vingança estava pronto. Dando de ombros à provocação, Daisuke sentiu o movimento suave e indolor de sua pálpebra que desenhou um círculo concêntrico e simétrico como uma cabala negra num papel vermelho. Sim! Estou sentindo! - Não havia dor. Não havia incômodo... Estava perfeito como se aquele olho agora lhe pertencesse. Como ele fizesse parte de seu corpo desde sempre. O nukenin então olhou para o médico e sorriu. Cirurgia perfeita. Agora só lhe restava levar Noburo para o lugar do encontro. - Não se esforce muito. A anestesia ainda deve estar em seu sistema - Aconselhou o doutor que sabia que o paciente não o escutaria. Mas o nuke estava extasiado demais com essa boa-nova e acenou em concordância. Visualizando agora toda a enfermaria, ele logo notou que o corpo de Kayako ainda jazia na cama, completamente enrolado num lençol como se estivesse mumificado. Perfeito.

Seu olho esquerdo agora girava na direção de Kayako, torcendo o espaço tempo ao redor do objeto fúnebre fazendo-o desaparecer como que por mágica do lugar. - Solte-me! O que você está fazendo!? - Noburo esbravejava, ensandecido de ódio. Porém, o Hirishi tinha outros planos para o alvo. Boa-sorte seu desgraçado. - Desejou ao encarar o Uchiha com desdém, que começou a sentir seu corpo sendo sugado por uma energia desconhecida e antes que pudesse indignar-se ainda mais, ele caiu numa espécie de solo pedregoso. Ainda fraco, mas sem as amarras, Noburo tateou o seu redor e sentiu o frio cadáver enrolado hermeticamente em um lençol. Onde estou? O que aconteceu? - Ele tremia e franzia o cenho quando começou a tirar os esparadrapos que prendiam seu curativo. Sua agonia era tanta que chegava a ferir seu couro cabeludo com suas unhas pontiagudas pela falta de higiene. Rapidamente Noburo puxou as bandagens na direção do nariz. Uma sensação estranha tomou conta de seu corpo quando suas pálpebras se abriram. A gélida sensação percorreu sua coluna e quando percebeu que conseguia enxergar somente pelo olho direito. - Meus olhos! - Gemeu num misto de tristeza e alívio.

- Onde eu estou? - Agora sussurrou, ajudando-o a perceber um eco que repetiu a frase dita. Seu olho então começou a se acostumar com a penumbra para revelar a paisagem ao seu redor. Estava dentro de uma caverna. Tudo ao redor era rocha banhada por inúmeras goteiras que formavam as inúmeras estalagmites e estalactites que decoravam a catacumba. Uma brisa fria trouxe para dentro do buraco algumas folhas secas de árvores indicando que ele estava à beira de uma provável saída. Tum! - O Uchiha então forçou as suas pernas mas logo caiu de joelhos pela fraqueza que sentia. Talvez a anestesia ainda estava fazendo efeito em seu corpo, mas isto não o impediu de testar seus limites para rastejar o quanto antes para fora da caverna. Ele temia que Daisuke retornasse e por fim o matasse. Seu coração batia forte e sem pestanejar ele empurrou o corpo do pai para abrir passagem até a saída quando desembocou numa pequena clareira antes de uma densa floresta. Era noite. A lua ainda clareava os céus e o vento fazia as árvores balançarem, criando sombras que se movimentavam sinistramente, esgueirando-se pelo chão. Mas tudo aquilo não importava. Estava vivo e tinha um de seus olhos.

Era hora de fugir dali. Posicionando as mãos no chão pedregoso, Noburo conseguiu se levantar com grande esforço. - Um pé na frente do outro. - Sussurrava ao cambalear na direção da floresta quando duas kunais espetaram o chão há alguns centímetros de seus pés. O Uchiha gelou. Tentando forçar as pernas num salto recuado, ele não conseguiu firmar os membros no chão, caindo dolorosamente de volta à caverna, por cima do corpo de seu pai. Gemendo em agonia, ele percebeu que quatro vultos o aguardavam na entrada da depressão. Suas lâminas refletiam a sinistra luz da lua em posições ameaçadoras. - Noburo Uchiha! Não adianta fugir! Somos ANBU da Folha e levaremos você e o corpo de seu pai de volta. - Intimou um dos vultos, revelando sua máscara característica. Agora o Uchiha percebeu o que acabara de acontecer. O maldito nukenin havia transplantado um de seus olhos para que justificasse o assassinato do pai. Konoha trataria o assunto como um caso de fratricídio em busca de poder, e ele seria condenado à morte deixando Daisuke livre da perseguição. Certamente ele transplantou e danificou o outro olho no corpo de meu pai... Assim o círculo se fechava. Não existia olho sobrando. - Noburo sorriu e levantou as mãos.

- Eu me entrego... - Finalizou. Não havia o que fazer senão enfrentar seu destino.

***

Longe dali...

- E então Daisuke, conseguiu sua vingança? - Perguntou Kazuki, sentando-se na espreguiçadeira ao lado do aliado.
- Sim. Sim. Nesse momento a ANBU deve estar "estourando" o cativeiro do pato. - Comemorou, juntando as mãos na nuca ao se espreguiçar lentamente.


FIM!


Última edição por Ozzymandias em Seg 20 Fev 2017 - 2:48, editado 1 vez(es) (Razão : Sem razão especificada)
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Fumetsu] Busca Pelo Poder Supremo [3/3]
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Nukenins e Outras Vilas :: Fillers-
'); }