Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Brian$

Administrador | Suna
Administrador | Suna
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Número de Mensagens : 1661

Registo Ninja
Nome: Brian Borges
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 279
Total de Habilitações: 758,5

MensagemAssunto: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Sex 6 Jan 2017 - 18:45

Rank da missão: B
Titulo da missão: Missão NISO - Droga na academia
Descrição: Uma garota da academia acabou por desabafar com a sua mãe (não shinobi) que alguns dos seus colegas fumavam umas ervas estranhas - na verdade, uma droga derivada duma planta que provoca efeitos alucinogénios e um enorme vício. Com o espalhar de alguns boatos, essa mãe ouviu falar da N.I.S.O. e viu aí uma possibilidade de tentar pedir ajuda com o sigilo que a sua filha pedira... Visto que o clima em Sunagakure é desfavorável a plantação de ervas deste (ou outro tipo), suspeita-se que o tráfego tenha origem além fronteiras e suspeita-se que as drogas tenham sido trazidas por um shinobi não natural do país do vento. A missão consiste em descobrir quem está a trazer a droga para a academia e neutralizar (capturar) essa pessoa.
Recompensa: 600 Ryos, +1 Ponto de Mérito, +1 Scroll de Novo Jutsu
Inscrito: Himura Senshou
Voltar ao Topo Ir em baixo
GhosTTerroR

Administrador | Outras Vilas
Administrador | Outras Vilas
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 30
Localização : Porto / Coimbra
Número de Mensagens : 5966

Registo Ninja
Nome: Nara Artemiza
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 100
Total de Habilitações: 45,75

MensagemAssunto: Re: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Sex 13 Jan 2017 - 16:01

Citação :

Treino 31:

Senshou olhava-os com um sorriso parvo. Estava tonto e não conseguia reagir...
- Prepara-te Shou-Sen-Kun! - Alertava o seu sensei. - Aproveita a noite para descansar, pois amanhã quero-te na NISO bem cedo! Tens que dar início a uma missão...
- Huh!? Uma missão, para mim!? - A sua expressão de surpresa transformou-se numa alegre. Finalmente ele poderia voltar à atividade da organização fundada pelo seu sensei!

Himura Senshou compareceu responsávelmente na sede da NISO naquela manhã, tal como Ikuza lhe tinha dito para fazer. Os seus companheiros da NISO também apareceram!

Citação :

Filler 38:

- Muito bem! - Começou Ikuza. - Estamos todos prontos para uma nova fase da N.I.S.O.! - Fez uma expressão de contentamento. A maioria dos casos pendentes, mais complicados, têm se vindo a resolver. Já temos conseguido alguns casos novos o que acaba por dar alguma divulgação a este grupo. A partir de hoje, começarei por distribuir por vós algumas missões particulares. E as duas primeiras são para Tsukiawa Yasumi e Himura Senshou! - Olhou para ambos, que retribuiram o sorriso.


Titulo da missão: Missão NISO - Droga na Academia

Alguns minutos depois, Ikuza reuniu-se a sós com Himura Senshou após ter distribuído missões pelos restantes.
- Sei que tinha dito que ias ser um dos primeiros a receber uma missão, mas... - deu uma guinada com a cabeça enquanto se sentava... - Aconteceu assim. Apesar de tudo, ainda bem que só cá estamos os dois! - Falava Ikuza nom tom de graça, sentado do lado oposto da mesa cheia de folhas.  Assim torna-se mais fácil transmitir-te a missão. ...Eis um pequeno "briefing" que preparei... - Pousou a mão sobre uma folha e fê-la deslizar sobre a mesa até Senshou.
O chuunin pegou na folha e começou a ler enquanto que Ikuza salientava ao mesmo tempo algumas notas e detalhes sobre a mesma...

Citação :
Uma garota da academia acabou por desabafar com a sua mãe (não shinobi) que alguns dos seus colegas fumavam umas ervas estranhas - na verdade, uma droga derivada duma planta que provoca efeitos alucinogénios e um enorme vício. Com o espalhar de alguns boatos, essa mãe ouviu falar da N.I.S.O. e viu aí uma possibilidade de tentar pedir ajuda com o sigilo que a sua filha pedira... Visto que o clima em Sunagakure é desfavorável a plantação de ervas deste (ou outro tipo), suspeita-se que o tráfego tenha origem além fronteiras e suspeita-se que as drogas tenham sido trazidas por um shinobi não natural do país do vento. A missão consiste em descobrir quem está a trazer a droga para a academia e neutralizar (capturar) essa pessoa.

- Entendi. - Senshou, com firmeza.
Ikuza sorriu.
- Tem cuidado, esta pode ser a missão mais difícil que já fizeste!
Senshou assentiu, mas ao mesmo tempo lembrou-se da missão do "messias" e de quando enfrentou Baa-Han Shanko e Kyozuchi Akira... «Será mesmo!?» Levantou-se depois e preparou-se para se ausentar...
- Gambate! - Incentivou Ikuza por fim.

...

Senshou sabia exatamente por onde começar. Concentrou chakra na sola dos pés e começou a escalar o edifício em frente... Olhou na direção que pretendia... Dirigindo-se para lá, começou a saltar de edifício em edifício através da vila da areia...

Ao entrar no grandioso edifício de Suna, sentiu-se nostálgico...

Citação :

[OVA] Academia Sinobi (PT.1) Primeiros passos:

Enquanto que guiado por um alto chuunin auxiliar do hospital shinobi de Sunagakure, Senshou desejava conseguir desde já usar o Kage Bunshin para maximizar toda a experiência e observar todos os detalhes da vila. Usaram uma das ruas principais, com bastante movimento, cheias de lojas e mercadores. O chuunin foi simpático ao ponto de optar por um trajeto onde passaram por um pequeno "spot de treinos" urbano onde uma equipa de três gennins treinava com o seu sensei, fazendo-se quase como um guia para o recém-chegado.
Por fim, uma grande entrada com um placard no cimo: «Academia Shinobi de Sunagakure no Sato». Subiram alguns degraus, cruzando-se com dois garotos que saíram do interior a correr, como que numa brincadeira.
Senshou seguiu o alto e magro chunin com cabelo alaranjado só no cimo da cabeça. Ele parou, debruçando-se junto à receção. Uma mulher forte com óculos "fundo-garrafão" aparentemente bastante atrapalhada com a sua ocupação, agitou os braços num queixume, como que evitando dizer «Bah, que se lixe!» e virou-se para o "homem-estaca".
- Diz querido! Que precisas? - Parecia já ter confiança com ele, ou seria apenas pura simpatia.
- Este rapaz veio de uma aldeia das montanhas ventosas e deseja inscrever-se para se tornar um shinobi.
- Muito bem! - Ela olhou para ele com simpatia e ele sorriu-lhe de volta. A atitude extremamente natural da mulher deixava-o bastante à vontade. Era como que se estivesse acostumada a receber garotos já com 16 anos vindos de todos os cantos do país do vento, o que na verdade não era assim tão comum.

A conhecida funcionária por detrás do balcão retirou os óculos para confirmar que eles não a enganavam:
- Senshou-chan-kun!!! - Exclamou ela ao vê-lo. - Que bom rever-te!
- Igualmente! - Sorriu com o mesmo jeito tímido que tinha desde que era apenas um aprendiz de shinobi. Sentiu a sua mente ser apoderada pela nostalgia. Sentiu-se recuar àquela altura e toda a experiência adquirida desde então, por momentos, parece ter desaparecido.
- O que te trás por cá? - Atenciosa, como sempre.
- As memórias davam-me uma inconfortável sensação nostálgica. Acho que precisava de as reavivar para as tornar frescas. Talvez assim consiga ter o passado presente de uma forma mais natural.
- Acho que te entendo! - Apontou para ele com uma caneta. - Queres dar uma volta por aí!?
- Sim, acho que é uma boa ideia!
- Está à vontade! Sempre foste muito bem comportado e muito respeitador. Confio em ti! Ainda me lembro da primeira vez que te vi!... Vocês, os que vêm de fora da vila, por algum motivo me deixam uma forte marca na memória. - Agitava as mãos. - Felizmente que no teu caso bem positiva ao contrário da outra que cá apareceu à uns anos atrás vinda também d... - pareceu arrepender-se de deixar fugir todo o seu entusiasmo através das palavras. Senshou não se revelou urioso ao ponto de pedir-lhe para conclyir a frase deixada a meio... - Pois bem, se precisares de alguma coisa...
- Sim. - Fez uma vênia-saudação. - Agradecido!
Ao longe:
- E parabéns pela tua recente nomeação!
- Arigato!!! ^.^ - Senshou levantou a mão girando sobre a cintura.

Vários garotos sem hayate, sobretudo, circulavam pelos corredores do edifício cruzando-se com Senshou.
Uma porta abriu-se de rompante à sua esquerda, assustando-o. A garota que de lá saiu a correr girou habilmente 90° evitndo chocar com ele e continuou  correr como se ele não existisse. Dois segundos depois, uma segunda garota:
- Kaoro, espera! - Chamou.
«Kaoro!?» O nome soou na cabeça do chuunin. Segundo Ikuza, era esse o nome da garota que fez a denuncia! Senshou girou sobre si e começou a correr atrás das duas pequenas garotas. Elas serpenteavam habilmente por entre outros colegas e funcionários da academia, e mudavam de direção sem avisar ou abrandar.
- Kaoro-chan! - Decidiu chamar Senshou.
Ao ouvir uma voz desconhecida chamar o seu nome, a garota travou-se e a sua colega alcançou-a finalmente. Olharam para o rapaz alto, shinobi, com alguma desconfiança.
Himura Senshou pousou as mãos sobre as coxas e soprou um exalo. Depois sorriu:
- Sóis bastante ágeis! ^.^ - Kaoro era baixa, pele clara, bochechas redondas brilhantes, cabelo comprido preto, preso com um laço de fita azul junto à nuca, o mesmo azul dos olhos que o olhavam com preocupação. Tinha os braços e as mãos ligeiramente abertas. - Kaoro-chan, precisava de falar contigo sobre... - Mas nesse momento ela surpreendeu-o com o realizar de um selo. Os seus grandes olhos azuis brilhantes afundaram-se no seu olhar...
Himura Senshou começou a ver crianças feridas dobrando a esquina ao fundo do corredor, pedindo "socorro!".
- «Eu não acredito que ela tentou usar isso comigo!» - Apercebendo-se dos efeitos do genjutsu básico que também aprendera naquela academia, Senshou uniu as mãos de forma a focar-se para quebrar aquela ilusão. Foi fácil, afinal, ainda eram aprendizes! No entanto, retomaram a fuga. - E não acredito que estão a tentar fugir de mim!... - Concentrou chakra nos pés e fez uma rápida acelaração. Utilizando o seu chakra movimentou-se rapidamente através do corredor com um Shunshin, agitando roupas e papéis com que se cruzara. Surgiu em frente às garotas, fazendo-as travarem, pálidas e assustadas.
A colega da Kaoro realizou um selo e criou um Bunshin que Senshou imediatamente fez desvanecer com um soco. Já Kaoro voltou a fazer o seu olhar determinado... Mas Senshou antecipou-se:
- Desta vez não, Kaoro, Kirabari! Magen, Miharaki Ketysuaki!
Os olhos azuis arregalaram-se ainda mais! Kaoro começou a ver uma onda de sangue inundar o corredor por detrás de Senshou. Ficou aterrada ao ver a onda aproximar-se e ensanguentar tudo à sua passagem!
- Pára!!! - Implorou a colega em jeito de protesto ao ver a expressão assustada e paralizada da amiga.
Senshou deu um passo em frente, colocou-lhe a mão no ombro e fechou os olhos. Concentrou o seu fluxo de chakra ao longo do seu braço para que, através da sua mão, se pudesse transmitir para o fluxo de Kaoro e assim terminar o genjutsu.
...A garota, apesar de assustada, parecer despertar, reagir. Encolheu-se junto da colega que a abraçou.
- Podemos falar agora!? - Senshou continuou a insistir no sorriso. - Ou vou ter que fazer queixa e dizer que andam por aí a usar ninjutsu sem autorização! - Levantou o polegar.

Chegaram a acordo e Senshou conseguiu ficar frente-a-frente com Kaoro numa pequena mesa vulgarmente usada como suporte para pequenos lanches. Estavam sentados, cada um no seu pequeno banco mogno...
- Kaoro... - Senshou apontou para o seu hayate. - Sou um chuunin de Suna e estão numa missão secreta, acerca da qual só eu e tu sabemos! - Ocultou Ikuza e a mãe dela. - Eu sei do que está a acontecer... Sobre as "ervinhas"... - Ela engoliu em seco. - Mas preciso da tua ajuda! Não te preocupes, não vou falar de ti em momento algum! - E acrescentou: - Apesar de não ser muito velho, sou experiente e sei o que digo, confia em mim.
Ela lacrimejou um pouco e tentou disfarçar olhando para o lado. Depois inspirou e expirou. Olhou para Senshou e soltou uma única palavra antes de se levantar e virar costas:
- "Teneki".
Himura Senshou teve que se dar por satisfeito com aquela pista. "Teneki"...
- «Deve ser o nome dele...» - Deduziu. Sabia a quem recorrer para confirmar. Percorreu os corredores até junto do balcão por onde entrara no edifício.
- Então!? Já mataste as saudades!? - Perguntou a simpática mulher de óculos.
- De certa forma. - Sorriu enquanto se aproximava dela. - Porém, tenho uma pergunta...
- No que puder ajudar!
- Quem é "Teneki"?
- Ah! - Pareceu ter a resposta na ponta da língua. - Já ouviste falar dele! Como não podia deixar de ser! Ele faz-me sempre lembrar de ti! É assim "especial" como tu, também veio de fora da vila, mais acho-o mais desenrascado do que o que tu eras... Acho que ias gostar de o conhecer!
- É, eu também.
- A esta hora, talvez o encontres no pátio central da academia.
- Certo! Sabia que podia contar com a tua ajuda!
- Fico feliz de ter ajudado!
Senshou já estava de costas, afastando-se a correr...


Ao chegar ao conhecido, Senshou entendeu que seria "impossível" descobrir quem era o Teneki só por olhar aleatoriamente para todas as dezenas de presenças humanas. Então...:
- Yo! - Tocou no ombro de um rapaz que segurava um aparelho eletrónico. Aparentava tratar-se de um jogo qualquer. - Quem é o Teneki?
- É aquele! - Tirou uma mão do aparelho para poder apontar para um rapaz alto de cabelos loiros compridos e lisos, caídos por cima de um macacão negro sobre roupas azuis. Ele estava conversando com um grupo de outros colegas.
- Arigato. - Senshou, à distância, procurou observar qualquer atitude suspeita. Porém, preferiu não abordá-lo a li, em frente aos amigos, em frente a "todo o pátio"... «Será melhor segui-lo após ele sair...»...

Assim o fez, porque de fato, após as suas aulas shinobi, Teneki acabou por sair do grande edifício de formação shinobi. Após observar por detrás de uma esquina, focou o chakra nos pés e trepou a parede com o Kinobiri para o vigiar a partir de zonas altas, como dos telhados da vila, cobertos por areias soltas...

Enquanto passava no nível superior de uma ponte, Senshou via Teneki passar pelo piso inferior... Escondido nas sombras, pensava para si...
«Ikuza disse... 'esta pode ser a missão mais difícil que já fizeste'. Porém, será que ele estava apenas a fazer com que eu a levasse seriamente!? Afinal, isto de lidar com aprendizes de shinobi parece mais uma missão para um recém gennin. E será que Kaoro tem a certeza do que falou!? No pátio não vi nada suspeito, se bem que ele, ou eles também não se iam expor naquele local...»
- Huh!? - Apercebera-se tarde demais!
- Quem és tu!? - Teneki surgiu em cima da ponte por detras do chuunin encostando-lhe uma kunai ao pescoço.
Sem possibilidades de grandes movimentos, o chuunin espreitou para baixo vendo o mesmo Teneki que estava agora atrás de si a afastar-se, mas a desaparecer numa núvem de fumo segundos depois...
- Himura Senshou... - Respondeu.
- Porque me segues!?
- Ela... A da receção... Disse que eu devia conhecer-te!
- A da receção!? - Teneki franziu o sobrolho, mas depois fez a associação. De fato, a mulher já lhe tinha falado de "um tal Senshou".
- Sim! Pergunta-lhe...
- Pois bem, mas para isso não precisavas de me seguir!
- É que... Não sou muito bom a... Apresentar-me e socializar com pessoas desconhecidas. - Persistia na mentira.
Teneki aliviou a kunai e deu um passo atrás.
- De qualquer forma, tem de ficar para outra altura. Estou com pressa e já me fizeste perder tempo! Não voltes a seguir-me se não da próxima vez, degolo-te! E não me subestimes por ser apenas um aluno da academia! Fica o aviso! Vá sume-te!
- Gomen... - Fez uma pequena vénia, deu meia volta e afastou-se a correr.
Teneki sorriu e saltou da ponte abaixo retomando o seu caminho. Nesse momento, o Senshou que corria desapareceu numa núvem de fumo!
Na escuridão...:
«Certo! Talvez tenha que voltar atrás com estes meus pensamentos acusativos, e talvez Ikuza tenha razão afinal, como teve quando me ensinou a realizar o Kage Bunshin explicando a sua utilidade na aquisição de experiência...» Senshou, usando a sua máscara Hanya, saiu da sombra e continuou a observar Tenaki, do cimo de um alto edifício. «Esse garoto... Primeiro apercebeu-se do meu Kage Bunshin; depois aproveitou-se do fato de eu não o conseguir ver enquanto estava debaixo da ponte e criou um Kage Bunshin que assumiu o seu lugar distraindo o meu enquanto que o apanhou por trás sem que ele se apercebesse! Mas tem mais! Ele tinha uma kunai! Certamente não deve ter autorização para andar com isso na academia...» Começou a confiar em todas as suspeitas, seguindo-o com cautela..

Teneki percorreu um velho caminho até chegar a uma isolada habitação redonda rodeada por velhas árvores rugosas e sem folhas. Entrou na casa, como se fosse sua...

«Será que ele vive aqui!? Ou será este um ponto de encontro!?» Senshou sabia que se tinha que aproximar cuidadosamente se queria descobrir algo mais, pois, infelismente para ele os seus pequenos binóculos não conseguiam ouvir.
Fez uma rápida aproximação com o shunshin no jutsu e encostou as costas à parede amarela da casa, al lado da porta de madeira com o topo em arco. Deslizou ao longo da parede para se aproximar da porta um pouco mais... Começou então a ouvir vozes e parou.
- Acho que devemos ter cuidado! - Dizia Teneki, aparentemente acompanhado. - Talvez mesmo parar com o negócio da droga por uns tempos!
- O que estás a dizer Teneki!? - Uma voz limpa, mas grave, de adulto! - Estás a acobardar-te ou andaram-te a fazer a cabeça!? Ainda hoje trouxe mais mercadoria de Konoha!
Senshou despertou! «Tenho que intervir!»
- Nada disso! Ainda hoje um shinobi esteve a seguir-me! Talvez não fosse por esse motivo, segundo deu a entender, mas... - silenciou-se, ele e o outro.
«Será que me detetaram!?» Perguntou-se Senshou rangendo os dentes. Uniu as mãos preparando o selo para um ninjutsu...
- Teneki bakayaro!!! Ele seguiu-te até aqui!
- O quê!? Mas pai, é impossível! Se for verdade eu trato dele. É apenas um adolescente covarde!
«Foi o outro! Deve ter sentido a minha presença! Então deve ser um shinobi experiente!...» Concentrou o chakra e realizou o:
- Kage Bunshin no Jutsu! - O clone surgiu em frente à porta. O original afundou a mão na sua bolsa shinobi. O clone agarrou o círculo que servia de puxador e abriu ligeiramente a porta. Senshou lançou duas granadas de luz para o interior! Após ouvir os gemidos queixosos, o Kage Bunshin pontapeou a porta! Senshou entrou com ele, deixando cair uma granada de fumo para que os seus adversários ficassem ainda mais confusos com a sua presença. A porta fechou-se atrás de si.
- Shibatta, são dois!
- Teneki-Baka! - O homem loiro de cabelo liso caído sobre uma camisa preta espreitava com um só olho, ainda um pouco ofuscado. - Trata-se de um Kage Bunshin. Ele não pode sair daqui vivo! Se não tratares dele eu acabo com vocês os dois!
Sob a pressão do homem a quem chamara 'pai', Teneki realizou uma sequência de selos:
- Suiton, Teppoudama! - Mirou o Senshou mascarado da sua direita. A água foi projetada com rapidez e o Kage Bunshin não se esquivou atempadamente, sendo destruído.
Himura Senshou fitou-o por detrás da máscara enquanto que manipulava o fluxo do seu chakra auxiliando-se num selo de mãos:
- Ishou Genpan! - O chakra utilizado através do contacto ocular afetou Teneki que pareceu ficar perplexo e confuso enquanto os seus sentidos sofriam os efeitos do genjutsu de Senshou, vendo-se numa realidade sugada por uma espiral de ida-e-volta! O chuunin aproveitou a oportunidade e atacou-o rapidamente! Quando Tenaki regressou a si, ainda zonzo, tinha Senshou à sua frente! Só teve tempo de colocar os braços cruzados em frente ao peito para se proteger do soco... - Okashö!!! - Senshou sentiu os ossos dele através do seu punho, mas certamente que Teneki sentiu muito mais que isso! Foi projetado e embateu de costas na parede do fundo, atrás do seu pai que se esquivou ligeiramente para evitar que colidisse consigo. Tenaki escorregou parede abaixo e caiu debruçado no chão frio, muito queixoso.
- AHhrgh!! Os meus braços! Não os consigo mecher! Doem!
- Tenaki, fica quieto de uma vez! Parece que continuo a ter que resolver os teus problemas... - O homem deu dois lentos passos em frente, com as sandálias negas a revelarem-se por debaixo das largas calças igualmente obscuras. Dirigiu-se então a Senshou... - Tu morres aqui, sunanin!

Senshou colocou-se à defesa, fletido...
O konohanin desapertou a pulseira que tinha no seu punho direito. Desdobrou-a...
«Um pergaminho!?»
Surgiu uma grande espada, "zanbattou"! Senshou largou o cabo vermelho da sua tanto e agarrou num dos três pergaminhos que tinha na coxa.
- E já que não passas daqui... - ele avançou para Senshou... - Deixo que saibas que terás o prazer de morrer às mãos de Teneth!
Senshou desembrulhou o seu scroll:
- Kizok'hebi Yari!
- Fuuma Ninken, Zanbattou!!! - A grande lâmina embateu no cabo de metal da lança de Senshou, faíscando entre ambas as mãos que o seguravam com força.
Teneth e Senshou usavam cada um a respetiva força e o respetivo peso para empurrar. A máscara ocultava a expressão de esforço que Senshou estava a fazer... Nenhum deles saiu do sítio, até que ambos assumiram um empate temporário e recuaram num pulo.
O sunanin deu um passo largo em frente e tentou rasteirá-lo com a parte esférica da sua lança, mas o homem recuou mais um passo. Por sua vez, Senshou avançou um, apelou à força dos seus músculos e aproveitou o balanço do movimento anterior para girar a lança e desta vez atacar de frente com a extremidade pontiaguda. Teneth recuou novamente, e ao ver a lança baixar devido à falta de controle do sunanin sobre o seu peso contra-atacou com um "slash" da zanbattou! Senshou largou a lança e inclinou-se para trás, levando-se depois a realizar uma pirueta à retaguarda com o apoio de ambas as mãos. Teneth não tencionava dar-lhe espaço, mas Senshou, agachado, soprou o ar das bochechas e descarregou a sua força no solo:
- Jishin Ouda! - O estremecer desiquilibrou Teneth e Shou-Sen aproveitou o momento! Uniu as mãos para moldar o seu chakra através do selamento das mesmas e... - Furemasu Bunshin! - Surgiu um clone que atingiu Teneth no estômago com os dois punhos e desvaneceu, e um segundo, sucessor, que se esticou para afastar o alto adversário com um pontapé. Quando Teneth tentou contra-atacar, o clone tinha desvanecido. Restava agora a Senshou aproveitar o desiquilibrio do soco falhado. Surgiu por debaixo dele e pontapeou-lhe o queixo! - Kage Buyo! - Após o forte pontapé ter desarmado e elevado o seu adversário, o sunanin surgiu atrás dele, como que se fosse a sua sombra... Agarrou-o pela cintura e inclinou-se para trás... - Suplex! - Tombaram ambos no rígido chão Teneth com mais força! Senshou levantou-se de imediato, num pulo, mas Teneth também se levantou poucos segundos depois, lentamente e com cara de poucos amigos.

Mais atrás Teneki levantava-se raspando as costas contra a parede. Agarrava o seu braço esquerdo, o que ficara à frente quando os cruzara para bloquear o soco de Senshou. Aparentava estar partido...

Senshou viu, primeiro as pernas, depois todo o corpo de Teneth desfazer-se em corvos! Penas negras rodearam-no: Senshou ficou no centro dum turbilhão de penas que se iam agarrando ao seu corpo... - «Isto é um genjutsu, certamente, mas de não me apresso além de ficar vulnerável também estou sujeito a ceder às crenças da minha mente e ficar imóvel!» - Uniu as mãos:
- Kai! - Pareceu ver uma pequena distorção, mas a ilusão não quebrou! - «Demasiado forte, favas!!!» - Sacou de uma kunai e girou-a sob o dedo indicador. Depois prendeu-a entre um selo de mãos e apontou-a para si mesmo. - «Assim deve resultar...» - Cravou-a perto do ombro esquerdo ao mesmo tempo que tentou utilizar o Genjutsu Kai. - Ahh!! - Queixou-se com a dor, mas as penas ilusórias desapareceram. Removeu a ponta da kunai do seu corpo e agora eram pequenos corvos que voavam na sua direção, uns atrás dos outros! Senshou saltou num rodopio e sacou da sua Tanto, atingindo dois corvos, e na descida do salto com um duplo agitar de braço, mais dois que se seguiram. Só estranhou o som metálico da colisão da sua tanto com os corvos... Não se conseguiu esquivar do quinto por forma a evitar o sexto e o sétimo. O "corvo" cravou-se junto ao seu ombro direito e revelou-se! - «Kunais disfarçadas!? Estes corvos também eram uma ilusão!»
Teneth realizou uma sequência de selos enquanto que Senshou arrancava a kunai do segundo ombro ferido:
- Katon, Goukakyuu no Jutsu!
O shinobi da areia sacou do seu segundo scroll, fazendo surgir um grande escudo que usou para se esconder e bloquar o ataque adversário. A bola de fogo colidiu com o escudo e a explosão de chamas projetou-o! Senshou atravessou a madeira da porta que estava atrás de si. O seu escudo Shiva no Tate caiu-lhe em cima! Senshou tentou depois empurrá-lo com toda a força! Dentes cerrados, empurrou-o como se tivesse a fazer uma flexão invertida. Fê-lo cair para o lado e olhou para o interior da casa. Viu Teneth agarrar na zanbattou e vir na sua direção...
- «Assim que ele chegar à porta... Nesse momento ele não vai ter espaço para me atacar!» - Aguardou uns instantes... - «Agora!» - Deu duas passadas e saltou! Sentiu o chakra fluir no seu corpo em direção aos membros inferiores conforme sua intenção. Ao alcançar a porta esticou a perna atingindo Teneth com o forte pontapé acumulado com chakra. Tal como Senshou tinha previsto, o konohanin não soube como reagir e foi então projetado até à parede contrária, quebrando algum mobiliário velho que estava no caminho.

Teneki caminhava lentamente apalpando a parede com a mão direita. Dirigia-se a uma velha mesa de madeira que tinha uma garrafa opaca, um pequeno copo de vidro vazio e vários sacos de droga....

Teneth ergueu o tronco:
- Maldito! ... Katon, Zukako!!! - Uma rajada de fogo atravessou a casa iluminando-a por completo! As chamas saíram porta fora e chamuscaram várias plantas!
Senshou, no interior, saltou para o lado para se esquivar, mas ficou abafado com tanto calor. A própria pele das pernas acabou por ser afetada por queimaduras ligeiras derivadas desse calor.
- «Uff! O melhor é não usar Fuuton neste espaço pequeno! A combinação com o Katon dele seria suicída!» - Uniu as mãos, dedos entrelaçados. - Doton, Domü! - Correu rapidamente para o adversário enquanto que a sua pele escurecia e ele se levantava. Ele alertou-se, mas foi lento na sua tentativa de realizar novos selos. Himura esticou o braço e socou-lhe o estômago contra a parede rachada que cedeu atrás dele! Teneth caiu entre os escombros, cuspindo expelindo pela boca sangue vindo do interior do seu corpo.
- Lamento Teneki, mas tenho que... - usou o seu sangue como recurso para invocar um corvo negro grande o suficiente para o transportar. Assim que o corvo bateu as asss começou a esvoaçar com Teneth às costas.
- Não vais a lado algum! Ayatsuito no Ayametori!- Senshou usou o seu chakra para manipular linhas harigane e lançou-as com shurikens na direção do corvo, envolvendo assim ambos! Sentiu um esticão nos seus músculos quando fez um forte puxão para baixo que contrariou o voo da ave e os fez colidir com o solo. O puxão aapertou as linhas sobre seus corpos e causou alguns cortes. O corvo acabou por regressar ao seu mundo, procurando segurança e Senshou aproveitou para realizou uma sequência de selos para o: - Doton, Ganchürö! - Quatro pilares de terra ergueram-se e rodearam o adversário moribundo. - Quieto! - A colisão direta com o solo estonteou-o visto que acabou por cair por debaixo do seu próprio corvo derivado ao forte puxão. Acabou por perder os sentidos, também derivado ao todos os danos sofridos...

- Ei! - Chamou uma voz atrás de Senshou.
Este virou-se e viu Teneki passando pelo buraco na parede. Segurava uma garrafa e tinha as bochechas rosadas. Deu mais ums golada e soluçou:
- "Hic!" Agora n"Hic!"... Nós! - Largou a garrafa e apontou para si mesmo com o polegar. Cambaleava e continuava com o braço esquerdo caído.
- «Ore!?» Senshou ficou algo surpreso, mas mais ainda quando Teneki começou uma rápida corrida na sua direção! Teneki balançou para o lado, como que se fosse cair, mas deixou para trás uma mão que socou a face de Senshou arrancando-lhe a máscara! Quase no chão, Teneki apoiou-se numa só mão e pontapeou o estômago do sunanin fazendo-o vomitar saliva! Senshou recuou alguns passos agarrado à barriga... «Suiken!? Lembro-me de já ter lido algo a respeito da habilidade, mas não tinha imaginado que iria alguma vez combater contra um!»
- Anda "Hic!" lá! Mostra o q'"Hic!"... O que vales! - Chamou-o com uma só mão.
Senshou estava ferido e sentia alguma exastão e por isso mesmo não podia facilitar e arriscar-se a sofrer mais danos que pudessem por em causa o sucesso da sua missão. Inspirou e depois, libertou-se:
- Hachimon... Kaimon, libertar! - Sentiu o chakra libertado pelo primeiro portão à flor da pele! Seus cabelos finos agitavam-se! Atacou Teneki com um rápido soco. Teneki contorceu-se para se esquivar e quando tentou contra-atacar com um soco seu, Senshou já não estava lá: surgiu mais ao lado e pontapeou-lhe a cabeça fazendo-o rodopiar! Teneki fez um espécie de dança no seguimento do rodopio e voltou a avançar para o sunanin, mas a velocidade deste era superior! Teneki não reagiu ao seu rápido contra-avanço! Senshou esticou o braço e atingiu-o em cheio no meio da testa com o seu punho! Teneki caiu.

Himura Senshou decidiu interromper a libertação exaustiva do seu chakra e arrastou Teneki para junto dos pilares onde estava Teneth, também desmaiado. Ali podia estar atento a ambos... Mais uma vez valorizou a técnica de clonagem que Ikuza lhe ensinara:
- Kage Bunshin no Jutsu! - O seu clone foi em busca de algum membro ANBU de Suna para o informar do local que encontrara com a droga e respetivos traficantes...

...

Ao fim do dia, ainda antes de regressar à N.I.S.O. onde seria curado pela medicina de Marikah, passou pela academia. A sua conhecida da receção já tinha despegado. Decidiu deixar-lhe um bilhete:

«"Já conheci Teneki.
Não o achei nada parecido comigo, mas em breve saberás o porquê, talvez amanhã até!
De qualquer forma, obrigado por tudo uma vez mais.

Himura Senshou"»



FIM


Última edição por GhosTTerroR em Sex 13 Jan 2017 - 20:57, editado 2 vez(es) (Razão : Sem razão especificada)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.myspace.com/ghostterror
GhosTTerroR

Administrador | Outras Vilas
Administrador | Outras Vilas
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 30
Localização : Porto / Coimbra
Número de Mensagens : 5966

Registo Ninja
Nome: Nara Artemiza
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 100
Total de Habilitações: 45,75

MensagemAssunto: Re: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Qua 18 Jan 2017 - 18:56

Bump! - Só para lembrar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.myspace.com/ghostterror
Brian$

Administrador | Suna
Administrador | Suna
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Número de Mensagens : 1661

Registo Ninja
Nome: Brian Borges
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 279
Total de Habilitações: 758,5

MensagemAssunto: Re: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Sab 21 Jan 2017 - 0:18

Eu reservo!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Brian$

Administrador | Suna
Administrador | Suna
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 23
Número de Mensagens : 1661

Registo Ninja
Nome: Brian Borges
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 279
Total de Habilitações: 758,5

MensagemAssunto: Re: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Qui 26 Jan 2017 - 18:36

Ninjutsu: 28,25+0,25= 28,5
Taijutsu: 26+0,5= 26,5
Kenjutsu: 17,5+0,5= 18
Genjutsu: 8,25+0,75= 9
Selos: 19+0,25= 19,25
Trabalho de Equipa: 6

Força: 18,5+0,5= 19
Agilidade: 32,75+0,75= 33,5
Controlo de Chakra: 29,5+1= 30,5
Raciocínio: 11,5+0,75= 12,25
Constituição: 20,75+0,75= 21,5

Total de Habilitações: 218+6= 224


Breves considerações: Foi uma boa missão, inclusive conseguiu aprender a usar melhor os genjutsu, tendo como única ressalva o fato de que você não pode juntar o kai com um dano auto infringido, ou seja, ou usa um ou o outro, não os dois ao mesmo tempo. Porém, embora você tenha conseguido mais pontos do que o máximo, você cometeu erros graves de coerência. Primeiro deles, você abusou do uso de jutsu, seu controle de chakra ainda não é tão alto para usar tantas jutsus de rank B, sobretudo o Kage Bunshin em demasia; segundo, seu personagem não tem força o bastante para puxar, apenas com força bruta, um kuchiyose gigante junto com seu cavaleiro, você nem mesmo tem 20 de força, então preste atenção. Por fim, o terceiro motivo, jamais, eu repito, jamais o primeiro portão seria capaz de superar o punho bêbado em agilidade, o punho bêbado é um jutsu de alto nível de poder, tão poderoso que Lee conseguiu lutar de igual para igual como Kimimaru, um ser tão poderoso que foi capaz de derrotar Gaara e Lee, mesmo esses usando jutsus rank S. Além disso, mesmo meu personagem tendo mais de 700 habs ainda conseguiu levar socos pelo punho bêbado do nukenin que ele enfrentou, que era apenas um rank B.

Depois de tudo que foi elencado, eu preferi não dar a pontuação máxima em vez de cortar a recompensa pela metade, mas evite cometer esses erros de novo.

Atualizado!
Voltar ao Topo Ir em baixo
GhosTTerroR

Administrador | Outras Vilas
Administrador | Outras Vilas
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 30
Localização : Porto / Coimbra
Número de Mensagens : 5966

Registo Ninja
Nome: Nara Artemiza
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 100
Total de Habilitações: 45,75

MensagemAssunto: Re: Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia   Qui 26 Jan 2017 - 18:43

Agradeço todos os alertas. Eu compreendo isso do punho bêbado. Não queria tornar aquele shinobi muito forte, mas secahar não lhe devia ter dado essa habilidade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.myspace.com/ghostterror
 
Missão Privada Rank B - Missão NISO - Droga na academia
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Sunagakure :: Missões :: Missões Arquivadas-
'); }