Naruto Portugal RPG
Sê bem-vindo ao Naruto Portugal RPG! Para teres acesso completo ao conteúdo do fórum, deves fazer Login ou Registar-te.



E o ciclo da vida repete-se! As pacíficas vilas voltam a unir-se para combater um mal em comum. Vem conhecer o melhor e mais antigo role play de Naruto, totalmente em português.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Tio Tsu

Administrador | Kumo
Administrador | Kumo
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 21
Localização : Nárnia, where unicorns tend to live!
Número de Mensagens : 5768

Registo Ninja
Nome: Shikaku Kinkotsu
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 0
Total de Habilitações: 24

MensagemAssunto: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Ter 25 Mar 2014 - 17:13

Titulo da missão: Pesquisando o sobrenatural!
Descrição: Recentemente, uma família tem visto o que parecem ser assombrações em sua residência. Provavelmente é alguma brincadeira de alguém habilidoso em Genjutsus, o problema, é que tem aparecido marcas de sangue na casa da família, o que indica que o suposto "fantasma" pode estar querendo cometer um homicídio. Sua missão é detê-lo antes que ele faça algum mal a este família.
Número de Ninjas: 2 a 3 ninjas
Recompensa: 600 ryos + 1 scroll de novo jutsu + 1 ponto de cumprimento
Pessoas Inscritas: Tsukino (.arrow)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.narutoportugalrpg.com/rpg_sheet_edit.forum?tid=12c1c6
Eden

Membro | Ame
Membro | Ame
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 24
Número de Mensagens : 662

Registo Ninja
Nome: Kaguya Sushiko
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1000
Total de Habilitações: 24

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Qui 19 Jun 2014 - 23:39

Inscrevo-me.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eden

Membro | Ame
Membro | Ame
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 24
Número de Mensagens : 662

Registo Ninja
Nome: Kaguya Sushiko
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1000
Total de Habilitações: 24

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Ter 24 Jun 2014 - 20:00

~le bump.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ozzymandias

Membro | Nukenin
Membro | Nukenin
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 60
Localização : Unknown
Número de Mensagens : 4010

Registo Ninja
Nome: Hiroshi Daisuke
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 15190
Total de Habilitações: 1029

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Ter 24 Jun 2014 - 20:29

Inscrito. Aguarda mais 24 horas e se ninguém te acompanhar, podes começar com outro ninja genérico para obedecer as regras do mínimo de participantes.
Voltar ao Topo Ir em baixo
conectado
Eden

Membro | Ame
Membro | Ame
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 24
Número de Mensagens : 662

Registo Ninja
Nome: Kaguya Sushiko
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1000
Total de Habilitações: 24

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Qui 26 Jun 2014 - 5:40





- Buririanto! - E todos olhavam para Ken, ele festejava uma vez mais. A equipa quatro de Sunagakure ali estava perante Gaara, o Kazekage, estava ali a espera de mais uma missão. Incrivelmente, o Kazekage tinha tido tempo para entregar em mãos aquela missão para o grupo de Gennins. Por motivos que Tsukino não sabia, Jirou estava ausente daquela missão, apenas Taro-sensei e Ken-Kun estavam prontos para iniciar uma missão, desta vez Rank C. Foi esse Rank, mais evoluído do que o anterior, que fez Ken soltar um urra de contentamento. Pouco ele se importava se ali estavam o Kazekage lendário, um shinobi fenomenal.

- Peço desculpa Gaara - Taro pedia desculpa coçando a cabeça umas quantas vezes, tentando desculpar a atitude que era de esperar por parte de Ken, mas que não ficava bem pular de contentamento num gabinete de uma autoridade da vila, ainda por cima, da maior autoridade que a vila tinha. Mas o Kazekage não se importou, tentou soltar o maior sorriso que tinha e afirmou com a cabeça. Foi o sinal que eles usaram para sair da sala em direcção ao exterior. Taro trazia consigo um papel, sobre as indicações da missão.

- Assombrações. - Comentou Ken já mais interessado, mas nem um pouco menos empolgado com a nova missão. A missão consistia em averiguar uma casa, bem dentro de Sunagakure porém afastado do centro, que está segundo relatos amaldiçoada. Sangue é encontrado todas as noites, e todas as noites existe novas histórias para contar. Porém Gaara e Sunagakure estavam dispostos acabar com esta assombração, que muitos acreditavam ser alguém utilizador de Genjutsu que está pronto para atacar sem medo e matar os habitantes daquela casa.

Foram apenas dez minutos precisos para chegar lá na habitação. Em frente da casa estava a família, o pai da família estava com um quimono cinza e um cigarro pensativo na mão. A mãe limitava-se a olhar para o horizonte, também ela carregando um cigarro na mão e por fim uma garota de cabelos enormes, cabelos dourados como a mãe e um quimono branco como a cal. A diferença entre a garota e os seus pais é que ela não estava abatida de todo, ela permanecia com um sorriso estranho na cara, derivado a todos os acontecimentos. Tsukino e Ken deixaram-se ficar para trás, enquanto Taro se apresentava.

- Meu nome é Taro da família Hamasaki, comigo trago Tsukino e Ken Tchibana. Nós somos a equipa quatro de Sunagakure. - Era tudo formal, Taro limitava-se a dobrar um pouco o tronco para cumprimentar a família que estava de olhos postos no sensei. - Estamos aqui para ajudar. -

- Nós não temos ajuda possível. - Comentou o pai entre tragos do cigarro acesso. Ele não tinha confiança e isso poderia-se comprovar bem na cara do adulto. Ele limitava-se a fumar, e fumar esperando que a morte o alcançasse já que a loucura daquela maldição já o tinha na perna.

- Existe sempre ajuda. Apenas queremos detalhes. - Insistia Taro. Taro precisava mesmo de informações para saber o que ali se passava, ele precisava de passar naquela missão. Era a primeira missão da equipa quatro, que dizer, a primeira missão a um nível já mais considerável, portanto ele precisava de passar. Ken estava impaciente, porém Tsukino limitava-se a observar tudo que o rodeava. Tudo que ele tinha a volta. A casa era já antiga, porém apesar de antiga era muito rica em materiais de decoração. Os jarros eram enormes e detalhados em banho dourado. As janelas com pequenos diamantes a finalizar pequenos detalhes de decoração. Riqueza não faltava, e foi então que Tsukino se apercebeu estava perante linhagem da família Feudal, logo tudo indicava que poderia ser um pequeno ladrão a tentar roubar aquela família.

- Vocês não sabem? - Começou a garota, que estranhamente, estava feliz a discursar. - Segundo um ditado, de dez em dez linhagens a família feudal sofre ataques de um shinigami. Ou seja de um Deus da Morte, é o outro lado da moeda. Ter riqueza e facilidades nem sempre foi fácil, pois todos que recebem isso sofrem com esta maldição do shinigami. - Era um ditado, muito antigo, porém que fazia Taro e Ken acreditarem-se. Mas o mais novo, Tsukino pouco se acreditava naquela lenga-lenga. Um Deus da morte iria andar a brincar aos Genjutsus e as charadas quando poderia aparecer e fazer com que aquelas pessoas desaparecessem do mundo? Aquilo não entrava na cabeça de Tsukino e foi então que a garota deu sinal que eles poderiam entrar em casa para observar mais, assim a equipa quatro entrou. Sem vigia dos residentes.

- Tretas. - Atacou Tsukino. - Um shinigami vai andar a brincar com eles. Eu nem sei se os shinigamis são verdadeiros, mas até podem ser, mas daí andar a brincar com uma família feudal as escondidas? Poupem-me por favor. Todos aqui sabemos perfeitamente que se um shinigami existir ele é possuidor de um poder estúpido sobre quem vive e quem morre. Ele iria andar uma semana a brincar com uma família? Se assim for, levem este shinigami para o circo! - Tsukino estava irritado, ele não sabia como é que o seu sensei e o seu parceiro tinham acreditado naquela história. Achava inacreditável como tinha sido possível um Jounin acreditar-se naquilo.

- Regra número um, quando trabalhamos para alguém a história deles têm de ser sempre verdadeiras. É uma crença. Achas que eu me acredito neste shinigami? Temos de perceber que é uma crença que provavelmente deixa aquela garota feliz por saber o que está por detrás disto. Um ser humano procura sempre questões para tudo, ninguém fica alegre com questões por responder. Portanto eu fingi como se tudo fosse verdade. Já vai bons anos que estou neste mundo, indo de Iwagakure até Kumo. - Dizia Taro, explicando o porquê de ter fingido cair na história da pequena garota. - E nunca vi um shinigami. -

- Estamos de acordo que isto é provavelmente alguém que pretende roubar esta residência? - Perguntou Tsukino olhando para a sua equipa. Claro que Taro defendia essa questão, porém Ken tinha ficado um pouco reticente sobre a questão do Deus da Morte. Para ele era muito importante não brincar com deuses, e ele sabia perfeitamente que se fosse verdade poderia morrer de um momento para o outro. O que fez o seu suor passar de quente para um suor gélido. gélido de medo.

- Sabemos perfeitamente que quem aqui anda tem uma vigilância apertada sobre a casa. Sobre quem entra, sobre quem saí. Porque consegue, segundo relatos, atacar em momentos oportunos. - Começou Taro-Sensei a explicar alguns factores que era interessantes para a Missão em si.

- Podemos então. - Começou Tsukino a pensar. Naquele momento ele estava decidido em mostrar que os shinigami não eram verdade. - Montar uma guarda sobre a guarda dele. - Porém nem Taro, o seu sensei, nem Ken perceberam o que o shinobi de cabelo vermelho queria dar a entender. Tsukino sorriu, era interessante como a sua timidez fugia quando ele estava em acção. - O que eu quis dizer, é que vamos para fora e temos de nos superar a ele em termos de vigilância. Um terá de ficar aqui dentro. Outros dois ficarão de fora a vigiar tudo em redor da casa. - Começou a explicar Tsukino a sua ideia.

- Muito bom Tsukino-kun. -  Elogiou Taro-Sensei com um polegar levantado para o seu aluno. - Portanto, Tsukino ficarás cá dentro. Enquanto eu ficarei da parte de fora com o Ken. Como mais especialidade em vigiar ficarei da parte de fora, enquanto terei a companhia de Ken que irá usar a sua habilidade corpo-a-corpo quando for preciso. Já tu Tsukino ficarás cá dentro tentando manter a ordem e segurando as pontas. - Todos afirmaram com a cabeça. E rapidamente Taro Hamasaki teve a responsabilidade de ir revelar aos donos da residência que apenas iria ficar um Gennin em casa deles, não revelando que os dois estariam da parte de fora. Tudo isto porque Tsukino fez questão de pedir, encarecidamente, de não revelar a localização deles durante a noite.

A noite começava a cair, e Tsukino desde a tarde tinha ficado dentro da casa dos Feudais. Apesar de uma atitude negra e obscura do pai e da mãe da garota serviram um bom jantar e conseguiu passar bons momentos com a garota. Tsukino teve a liberdade de falar e falar durante quase todo o dia com aquela que tinha contado o que tinha acontecido. Mas chegou o momento exacto. - Você fica bem aqui sozinho? - Comentava a garota preocupada com Tsukino enquanto subia para se ir deitar. - Não será muito frágil? - Perguntava a garota. Já Tsukino encolheu os ombros.

- Sabe como é ? É um shinigami que enfrentamos. Eu não tenho medo de olhar a morte nos olhos, eu não tenho medo de morrer. Já o meu sensei e o meu colega escolheram desaparecer e falhar com Sunagakure enquanto eu resolvi ficar. Posso ser fraco, mas espero demorar para morrer. - Mentiu. Tsukino mentiu por alguma razão e voltou a encolher os ombros como se de um coitado se tratasse. Sentou-se no sofá e encostou-se para trás. O silêncio e o escuro tomaram conta daquela casa.

Inacreditável, o seu coração batia a 100 km/h, ou mais, ele não sabia. Estava ansioso. Uma parte dele estava pronto para batalhar mas a outra parte não sabia bem e se fosse mesmo um shinigami? A atitude positiva que tinha mostrado ao longo da tarde desapareceu quando toda a gente sumiu. Mas os seus pensamentos, pensamentos negativos, desapareceram interrompidos por um som vindo do cimo das escadas.

- Tens ousadia para me enfrentar garoto? - Uma voz grossa vinha desde o cimo das escadas. O sangue caía gota após gota. O vulto era negro, coberto por algo que ele não sabia bem o que era. Será que era aquela a verdadeira personificação de um shinigami? Será que seria agora que ele iria morrer? - Vou ter de acabar com a tua vida. - Caminhou lentamente o vulto em direcção a Tsukino e foi aí que ele percebeu. Não era um Deus da morte.

- Pois.. - As palavras demoravam a sair a Tsukino, mas ele tinha a certeza de uma coisa. - Olá. Já agora pode parar com esse disfarce de shinigami e chamar o resto da sua família. - A confiança de Tsukino era cega, mas o certo é que o shinigami, ou pseudo-shinigami, parou completamente. Deixou de falar. Tsukino tinha agora a certeza. Aquele que estava perante ele não era um shinigami, não era um Deus de nada, era apenas o pai da garota. Atrás dele começaram-se a ouvir passos, era o resto da família. A garota que tinha outrora um sorriso e estava preocupada com Tsukino, vinha vermelha, ultrapassando pai que agora não estava com um vulto negro, e fixando os olhos do garoto de cabelo vermelho. - Como ? Como é a tua pergunta certo? -

- Muito simples. Regra número um é acreditar sempre na história da pessoa que estamos a trabalhar, porque como o meu sensei me explicou, é uma crença. Por vezes uma crença mantém as pessoas vivas. Mas foi quando meu sensei me falou em manter as pessoas vivas que eu me apercebi de algo. Apenas existe uma coisa que te mantém viva. O dinheiro. A ti e a tua família. Eu nunca me hei de esquecer, é algo que não sou fraco, é na memória. Bem há sete, oito anos atrás, a tua família era uma das mais ricas de Sunagakure. Inacreditavelmente conseguiam ir pelos caminhos de Suna e serem aplaudidos, por apenas terem a linhagem correcta. Mas na verdade todos nós sabíamos que eram influentes no País do Vento. Porque vocês colocavam dinheiro no País todo, um país grande. Só que eu também soube que com a ascensão de Gaara, todos começaram a ver as famílias feudais em Sunagakure como algo estúpido, como algo parvo, e acreditaram que estavam seguras com o seu Kazekage, com o seu protetor. Portanto desde aí foi, cair, cair, cair e cair. Até ao fundo do poço. - Tsukino quase não parava para respirar, algo dentro dele estava dando energia para revelar tudo aquilo que ele tinha pensado durante todo o dia. - Portanto o dinheiro foi desaparecendo. Com isso, ficaram a ser apenas uma família normal. O que fazer então? Inventar uma história que os tornasse novamente assunto no meio do povo, para que o povo ganhasse alguma pena de vocês e vissem que o Kazekage Gaara, nada podia fazer. No fundo queriam que as famílias feudais se tornassem no que eram antigamente. - O sorriso de Tsukino era gigante. - Mas ao que parece, acabou a brincadeira para vocês. - Terminou Tsukino confiante sempre com os olhos postos na garota que tinha um largo quimono.

- Falta apenas uma coisa. O elo de ligação.. - Comentou a garota, ela tinha razão.

- Pois. O elo de ligação é fácil. Quem é que conhecia melhor o terreno do que a família? Ninguém, nem o próprio Kazekage. Quem é que procurou, durante toda a tarde, saber se a aldeia falava sobre a maldição? Tu, minha cara colega. Quem é que soltou um sorriso, parvo, ao saber que apenas tinha ficado um gennin aqui por casa? Tu. E foi então que eu pensei, ela ri-se sabendo que apenas ficou um gennin fracote para a defender? Pois. Logo aí vi que tu estavas segura. Mas foi então que a primeira mentira acontece, os outros não foram embora. - Naquele momento entraram o resto, Taro de olhos postos na família com Ken arder por todos os lados. Tar no fundo estava admirado com a perspicácia de Tsukino, tinha percebido tudo em apenas minutos, em apenas algumas observações.

Mas o que ele não observou foi a garota avançar para ele com um soco bem aplicado no lado direito da sua face. O que o fez agachar, segurando-se na sua própria face. Olhou primeiro para o lado, e Taro discutia fisicamente com o pai da família enquanto Ken lançava-se furioso para a garota, mas foi travado pela mãe. Ali tudo estava resumido entre Tsukino e a garota que tinha contado a história. O nome dela? Idrani. A garota dos cabelos dourados. O que Tsukino não se apercebeu é que ela tinha um dom escondido, ela tinha chakra apesar de não o usar e apesar de não ter o distintivo de Sunagakure, ou de outra vila qualquer.

- Chakra? - Perguntou Tsukino, apenas recebendo o toque de Idrani. Ela mesmo quis mostrar que possuía chakra, para dizer e informar o garoto de cabelo vermelho que estava pronto para o combate. Tsukino não teve tempo para respirar, a garota concentrou o chakra na mão dela e aplicou outro golpe forte bem no lado contrário onde tinha aplicado o primeiro murro. Tsukino voou. Desta vez embateu contra a parede e escorregou por ela abaixo. Idrani não deixou quase o garoto chegar ao chão e concentrando o Chakra no pé aplicou um golpe duro e seco na barriga do adversário. Tsukino quase que perdeu a visão por momentos, atordoou. O almoço queria sair naquele momento.

Idrani estava pronta para mais um ataque, mas do nada Tsukino desapareceu, deixando para trás apenas algumas pequenas chamas de fogo. Ho Shunshin no Jutsu (Técninca do Movimento Rápido por Fogo). - Podes ter chakra, podes ter tudo. - Tsukino falava, agora do outro lado nas costas de Idrani. Limpou a sujidade da sua roupa e enfrentou a garota uma vez mais. - Mas falhaste em algo essencial. A aprendizagem, ser feudal tem privilégios, mas o certo é que não batalhaste duro como eu. - Tudo aquilo era verdade, mas Idrani não queria saber, concentrava uma vez mais o chakra na mão pronto para atingir a face de Tsukino. Tsukino rapidamente desviou-se com uma cambalhota lateral. O garoto de cabelo vermelho estava ansiosamente que ela continuasse aqueles ataques. Ataques não pensados e que ele iria defender bem facilmente pois depois o seu chakra acabaria por terminar, pois ela não o estava a regular devido a uma falta de treinamento, e quando ele acabasse o turno de Tsukino começava.

Idrani concentrou uma vez mais o chakra no punho e tentou golpear Tsukino, já este concentrou o seu chakra na mão e segurou o punho de Idrani com a sua mão. Com o seu chakra concentrado ele segurava toda a força de Idrani, agarrava o punho com força. Idrani surpreendeu-se com aquele movimento e olhou nos olhos de Tsukino. Como era de esperar, vários Tsukinos começaram aparecer do chão, Kasumi Jūsha no Jutsu (Servidores do Nevoeiro). A garota do quimono começou a golpear, com chakra concentrado, clone atrás de clone. Mal ela sabia que estava perante um Genjutsu, mal ela sabia que mal acabasse de atacar um clone, ele rapidamente regenerava. Tsukino apenas observava. Apenas limitava-se a olhar para Idrani, deixava com que ela gastasse todo o seu chakra em golpes inúteis contra aqueles clones. No final de contas, era apenas um Genjutsu.

Quando Idrani, já se cansava, foi então que Tsukino resolveu mostrar o seu "verdadeiro eu" avançou calmamente e encheu seus pulmões até onde podia, num movimento rápido de mãos realizou um conjunto de selos, e da sua boca saíram pequenas mas inúmeras bolas de fogo, porém o fogo quando embatia em Idrani nada fez, apenas um pequeno dano e fez com que ela despertasse do Genjutsu só que no meio das inúmeras bolas de fogo estavam pequenas kunais Katon: Hōsenka no Jutsu (Técnica do Fogo Místico da Fênix). Idrani sentiu o primeiro corte, sentiu o segundo. Tudo nos braços, porém o terceiro corte foi bem na face. O sangue escorreu e Tsukino aproximou-se da sua adversária, olhou para o lado e viu que Ken estava por cima da situação e Taro já estava pronto para terminar. Ajoelhou perante a garota e encolheu os ombros - Acabou. - Tudo estava mesmo acabado. Não havia mais chakra, e Idrani estava no chão agarrada a sua face vendo o sangue escorrer.

Em minutos tudo estava terminado, as autoridades competentes em resposta a chamada de Taro apareceram rapidamente. Idrani e os seus pais estavam finalmente longe da sua casa, da sua única riqueza.

Ken transpirava, Taro sorria de olhos postos na sua equipa enquanto Tsukino sentia a sua bochecha a inchar derivado ao golpe imenso da adversária só que o seu coração palpitava de emoção.

~fim.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Eden

Membro | Ame
Membro | Ame
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 24
Número de Mensagens : 662

Registo Ninja
Nome: Kaguya Sushiko
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 1000
Total de Habilitações: 24

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Sab 28 Jun 2014 - 23:40

bump
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jow

Administrador | Konoha
Administrador | Konoha
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 32
Localização : Hall of Valhalla
Número de Mensagens : 866

Registo Ninja
Nome: Jow Yagami
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 6515
Total de Habilitações: 446,5

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Dom 29 Jun 2014 - 1:09

Reservo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jow

Administrador | Konoha
Administrador | Konoha
avatar

Sexo : Masculino
Idade : 32
Localização : Hall of Valhalla
Número de Mensagens : 866

Registo Ninja
Nome: Jow Yagami
Ryo (dinheiro) Ryo (dinheiro): 6515
Total de Habilitações: 446,5

MensagemAssunto: Re: Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!   Dom 29 Jun 2014 - 14:03

Avaliação de Tsukino

H.N.

Ninjutsu: 7,5 + 0,25 = 7,75
Taijutsu: 3
Kenjutsu: 0,5
Genjutsu: 1,75 + 0,25 = 2
Selos: 4,75 + 0,25 = 5
Trabalho de Equipa: 3

H.C.

Força: 1,25 + 0,25 = 1,5
Agilidade: 4,5 + 0,5 = 5
Controlo de Chakra: 5,75 + 0,75 = 6,5
Raciocínio: 3,75 + 0,5 = 4,25
Constituição: 5,25 + 0,75 = 6

Avaliação: 3,5/7
Total de Habilitações: 3,5 + 41 = 44,5

Comentários: Uma missão rápida, onde houve muita conversa para explicar todo o desenrolar, mas pecou pela pouca movimentação. Acredito que se prolongasse um pouco mais a missão, iria conseguir mais pontos. Sem mais.

Atualizado!
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Missão de rank C - Pesquisando o sobrenatural!
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
A tua mensagem foi automaticamente gravada. Poderás recuperá-la caso aconteça algum problema
Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Portugal RPG :: Sunagakure :: Missões :: Missões Arquivadas-
'); }